Arquivo do mês: agosto 2010

É preto no branco.

Quarta-feira, uma Kombi. Assim começou uma paixão arrebatadora, que dura exatos 30 anos. Com data e hora marcadas, como se fosse algo que sempre esteve lá, adormecida, esperando para ser descoberta. Eu tinha quase quatro anos, e meu pai resolveu … Continuar lendo

Publicado em Futebol, Por aí | Marcado com , , , | 2 Comentários

Radiola

Bateu uma saudade, uma tristeza daquelas que não se explica direito. Mesmo cercado de rostos conhecidos e amores intermináveis. Solidão, talvez. Pantera – Hollow What’s left inside him? Don’t he remember us? Can’t he believe me? We seemed like brothers … Continuar lendo

Publicado em Música | Marcado com , | Deixe um comentário

56k

Problemas técnicos me fizeram utilizar uma conexão discada para acessar a internet. “Como assim, discada? O que é isso? Vai até o orelhão e pede pra alguem ler as páginas desejadas?” Poderia perguntar um qualquer. Creio que seria mais rápido dessa maneira. … Continuar lendo

Publicado em Por aí | Marcado com , , | Deixe um comentário

O maior de todos.

Se não foi o maior, talvez o melhor. Pelo menos pra mim, e é isso que importa. Nelson Piquet Souto Maior. Ou apenas Nelson Piquet. Lembro de assistir corridas de fórmula 1 desde que me conheço por gente. Minhas memórias … Continuar lendo

Publicado em Automobilismo | Marcado com , | 11 Comentários

Espelho da tua alma.

Pra que se ressentir do que fala? Então não fale! Pense antes, pese a mão. Não perca a razão. Perdoe aquilo que não conhece. Abra mão daquilo que precisa. Tua felicidade se encontra no olhar. Daquela criança que não para … Continuar lendo

Publicado em Por aí | Marcado com | Deixe um comentário

Não sou eu.

Prefiro saber que você não me conhece. Aguardo ansiosamente o dia em que não nos encontraremos. Em nenhuma esquina, em nenhum lugar. No bar que vai fechar, vazio, sem querer entrar. Acredito que tudo que passa por mim, um dia … Continuar lendo

Publicado em Por aí | Marcado com | Deixe um comentário

Horas atrás.

Caiu o mundo sobre minha mente. Horas atrás eu estava seco. Horas atrás eu estava vivo. Por onde ando eu já não sei, todas as ruas são iguais. Todos os olhos são frios. Toda frieza do amor. Revela-se uma criatura … Continuar lendo

Publicado em Por aí | Marcado com | Deixe um comentário